A relação humana há muito tempo é motivo de estudo, de atenção e muita força de vontade. Sua complexidade nos faz delirar e sim, por que não afirmar, nos move, nos faz viver. Algumas pessoas têm no trabalho a maior parte dessas relações, mesmo que às vezes sejam superficiais.

No trabalho, exercitar, o que a vida nos ensinou em teorias ou em práticas, mas nem sempre valorizamos isso. Quando nomeamos relações de trabalho, esquecemos a primeira palavra: RELAÇÕES. E ao priorizamos apenas a palavra: TRABALHO, pronto, feito o estrago, feita a lambança. A partir daí nossos conceitos são postos à prova, elencados, e trocados de ordem. Teorizamos, criticamos, seletizamos… se, ora se, colocássemos a palavra e o sentimento de RELAÇÃO na ordem certa, talvez, aí sim, conseguiremos, no nosso local de TRABALHO, viver nossas possibilidades, de amor, respeito, família, empatia… Seria tão menos trabalhoso trabalhar, se entendêssemos que o trabalho é apenas mais uma das nossas chances de viver nossas relações da melhor que forma possível.

Andréia Arruda – Diretora de Desenvolvimento Humano