O universo organizacional está cada vez mais competitivo e exigente, sabemos hoje através de exemplos e literaturas que as pessoas são as responsáveis pelo andamento das empresas. Um dos maiores e mais centrais desafios organizacionais tem sido, ao longo da história, fazer com que as pessoas produzam mais e melhor e, para isto, é preciso descobrir o que causa real impacto nos resultados.

Portanto é fundamental entender e desenvolver as competências essências de um líder. O conceito básico de liderança envolve o CHA, conhecimento, habilidade e atitude e, nos últimos anos foi acrescido mais dois fatores a sigla, CHAVE, valores e ética. Trabalhar e desenvolver a competência dos líderes é fundamental para que haja de fato uma gestão de pessoas, pesquisas mostram que 85% das pessoas saem das empresas por problemas relacionados à liderança então se torna necessário e, eu diria até obrigatório, desenvolver as competências dos líderes.

Sabemos também que essa tarefa, de desenvolver a competência dos líderes e liderados, não é fácil, principalmente porque, temos hoje, em muitas empresas, inclusive na minha, líderes focados muito mais no operacional do que na estratégia, o que dificulta o desenvolvimento dos mesmos, já que eles pouco têm tempo para pensar em sua gestão, já que estão absortos de trabalho operacional.

Liderança é o processo de conduzir um grupo de pessoas. É o poder de motivar e influenciar os liderados para que contribua da melhor forma com os objetivos do grupo ou da organização. Um dos pressupostos básicos para liderança de resultados é o equilíbrio entre as habilidades técnicas e comportamentais. Como todos sabem, as organizações são compostas por pessoas diversas de diferentes culturas e juntas num mesmo ambiente, daí a liderança ocupar um lugar de tanta importância dentro da organização. O trabalho não é mais o conjunto de tarefas associadas descritivamente ao cargo, mas se torna o prolongamento direto da competência que o indivíduo mobiliza em face de uma situação profissional cada vez mais mutável e complexa.

Uma pessoa pode ser um gerente eficaz, um bom planejador e um gestor justo e organizado e, mesmo assim, não ter as capacidades motivacionais de um líder. Ou simplesmente pode ocorrer o contrário. Uma pessoa pode ser um gerente ineficaz, porém, em contrapartida, ter as habilidades necessárias para um bom líder.

Entre os desafios apresentados pelo ambiente mutável, as organizações estão valorizando cada vez mais os gerentes que possuem habilidades de liderança. A liderança constitui uma necessidade típica do trabalho em equipe. Para fazer a equipe funcionar e produzir resultados, o gerente precisa desempenhar muitas funções ativadoras. Dentre estas funções, sobressai a liderança. O gerente deve saber como conduzir as pessoas, isto é, como liderar as pessoas e administrar as diferenças entre elas. A liderança é necessária em todas as atividades e em todos os tipos de organização humana, principalmente nas empresas.

A liderança não deve ser confundida com direção ou com gerência. Um bom dirigente ou gerente deve ser necessariamente um bom líder. O líder nem sempre é um dirigente ou gerente. Na realidade, os líderes devem estar presentes no nível de direção, no de gerência e em todos os seus níveis hierárquicos e em todas as suas áreas de atuação. Contudo, é na gerência que reside o ponto mais crítico da liderança. Ao traduzir os objetivos fixados e convertê-los em programas de ação, a gerência assume o papel de direcionar e conjugar esforços, comunicar, liderar, motivar, avaliar e recompensar as pessoas dentro da organização. O gerente não lida apenas com capital ou dinheiro, com máquinas ou equipamentos, mas trabalha, sobretudo com pessoas. É através das pessoas que o gerente consegue a execução das tarefas, a alocação dos recursos materiais e financeiros, a produção de bens ou serviços, bem como o alcance dos objetivos organizacionais. Daí a sobrevivência e o sucesso da empresa. Ao lidar com pessoas, a principal habilidade e ferramenta gerencial que emerge é a liderança.

Cada pessoa tem as suas aspirações pessoais, os seus objetivos, as suas preferências, as suas características de personalidade, os seus talentos e habilidades. Cada pessoa é única e ímpar. Ao constituírem uma equipe de trabalho, as pessoas se destacam pela diferenças individuais. Para que as pessoas possam trabalhar satisfatoriamente em equipe elas precisam de liderança.

Andréia Arruda – Diretora do Grupo Método